Buscar

Estilo Art Déco

Nos anos 1920 e 1930, designers deixaram para trás as curvas sinuosas do Art Nouveau e desenvolveram um novo estilo decorativo baseado em formas angulares, geométricas e conscientemente modernas para o período. Muitos dos pioneiros desse estilo eram franceses ou trabalhavam em Paris quando a famosa Exposition Internationale des Arts Décoratifs et Industriels Modernes (Exposição Internacional de Artes Decorativas e Industriais Modernas) foi aberta na cidade, no ano de 1925. Essa exposição, que contou com a participação de 34 países, promoveu o novo estilo e incentivou designers de todo o mundo a reinterpretá-lo à sua maneira. Na época, era chamado de "estilo moderno", mas mais tarde historiadores o apelidaram de Art Déco numa referência ao nome da exposição.


O Art Déco foi um movimento eclético. Seu estilo era em parte motivado pelo grande interesse em civilizações antigas, que surgiu com a descoberta da tumba de Tutankamon em 1922. Por isso, era comum que os designers dessa corrente emprestassem motivos gráficos de civilizações como a egípcia e a asteca. Porém, utilizavam essas inspirações de maneira nova, combinando com formas geométricas influenciadas pela pintura cubista ou com desenhos abstratos que se tornaram típicos do Art Déco, como formas de V e ziguezagues. Muitos designers também adotaram referências à vida moderna e se inspiraram em símbolos do progresso e da Era das Máquinas, como arranha-céus, eletricidade, aeroplanos e trens.


A influência do Art Déco no mundo moderno foi enorme, por isso alguns o consideram o primeiro movimento de design de escala global. Ele afetou a aparência de todos os aspectos da vida contemporânea, introduzindo uma combinação de glamour e modernidade no design de quase tudo: de edifícios, cinemas, navios e carros até jóias, utensílios domésticos, tipografias e cartazes. O estilo só entrou em declínio quando a II Guerra Mundial pôs um fim em tanto luxo e ostentação.



Principais características


RAIOS DE SOL

Referência clássica do Art Déco, a forma geométrica e abstrata dos raios de sol estavam em toda parte, de prédios a cerâmicas. Representando o alvorecer, simbolizava o ânimo do período e o otimismo com o futuro.


INFLUÊNCIA AFRICANA

O entusiasmo pela arte africana incluiu motivos decorativos baseados na iconografia de tumbas e templos do Egito Antigo, ou emprestados da arte tribal africana, especialmente máscaras e esculturas.


MULHER ESTILIZADA

No design Art Déco, as figuras femininas são enérgicas e animadas. Foi a era das melindrosas, mulheres jovens que desafiavam as convenções da época. Nas representações, mulheres aparecem frequentemente dançando ou praticando esportes, são alongadas, flexíveis, charmosas e têm cabelos estilosos.


CUBISMO

Os pintores cubistas pintavam cenas como peças quebradas em fragmentos. Em meados dos anos 1920, o design Art Déco passou a incorporar com frequência algumas características do Cubismo, como formas facetadas e arranjos geométricos.


MATERIAIS EXÓTICOS

Designers do Art Déco adoravam materiais exóticos e luxuosos, como mogno, ébano, marfim e chagrém, uma espécie de couro de tubarão. Eles usavam esses materiais de forma moderna, justapondo-os para criar efeitos dramáticos.


JAZZ

Os anos 1920 e 1930 foram conhecidos como a era do Jazz. Designers de cartazes e de estamparia traduziram isso em motivos geométricos ritmados, influenciados pelo Cubismo, e combinações de cores fortes.



Casando no estilo Art Déco


O filme O Grande Gatsby sem dúvida lançou os holofotes sobre a estética marcante e o universo ao mesmo tempo luxuoso e decadente dos anos 1920. Mas a verdade é que a estética Art Déco nunca deixou de fazer parte do imaginário coletivo quando o assunto são eventos cheios de pompa e glamour, e a sua atmosfera luxuosa cai como uma luva para celebrações como casamentos.


IDENTIDADE VISUAL

Num casamento de inspiração Art Déco, a identidade visual tem protagonismo na definição do estilo. O convite, que é sempre uma prévia do que os convidados vão encontrar no grande dia, deve traduzir essa estética tão característica e facilmente reconhecível. Uma estética que permite brincar com diferentes tipos de materiais, acabamentos e enobrecimentos que vão encher os olhos de qualquer um. Brilho, recortes e formas geométricas marcam presença nos diferentes materiais, que criam um conjunto harmônico entre si e com a decoração do espaço. Hotstamping, facas a laser ou detalhes em relevo são boas opções. E a tipografia, claro, é um elemento fundamental: letras também geométricas, com aquele toque que remete ao cinema mudo ou aos cartazes da época, são apostas certeiras.



DECORAÇÃO

Dependendo das opções disponíveis, a escolha do local pode ser uma peça-chave para recriar a atmosfera daquele período. A arquitetura dessa época tem características marcantes e pode, por si só, nos transportar diretamente para os anos 1920. Mas se você não pode se casar no edifício Chrysler, um ícone da arquitetura Art Déco em Nova York, não se preocupe! Os detalhes na decoração são muito mais importantes e fazem toda a diferença.



Não há espaço para timidez no estilo Art Déco. Ele é, por definição, dramático e exagerado. Como em poucos estilos, a paleta de cores é inconfundível. Preto, branco e dourado são a aposta mais certeira para reproduzir o clima sofisticado do período. Mas não são a única opção. Tons escuros de bordô e azul turquesa criam um ar dramático e dão colorido ao salão. Já se o casamento é no verão, por exemplo, é possível optar por uma paleta de cores mais suaves, com tons delicados de púrpura e menta, para trazer uma elegância feminina e deixar tudo mais romântico.



De uma maneira ou de outra, o segredo é abusar da força distinta das formas geométricas e do brilho. Mesmo que sejam toques brilhantes ou suaves luzes de vela, todos esses elementos interligados criam um acabamento opulento e luxuoso. Uma mesa com flores simples e desenho marcante, como os lírios de calla, tulipas brancas e copos-de-leite, decorada com acessórios dourados e velas, criam facilmente a atmosfera de luxo dos anos 1920.



No salão, um pé direito alto com lustres suspensos capturam o glamour da mansão de Gatsby, sobretudo se combinados com estofamentos acolchoados luxuosos e materiais ricos com linhas elegantes. Mas é fácil recriar o clima da época também num espaço externo. Jardins verdes com vegetação que lembram labirintos evocam a grandiosidade da mansão de Gatsby. Um carro vintage se torna um elemento perfeito para as fotos e é uma forma romântica para a noiva chegar ou para o casal deixar a festa.



STYLING

Escolher um vestido de noiva vintage é um foco central para um casamento 1920. De preferência peças autênticas, com desenhos geométricos inspirados na arquitetura da época, ou um vestido mais simples combinado com laços de seda e acessórios marcantes.



Braceletes grossos trazem o glamour do Art Déco, enquanto brincos em forma de gota se destacam entre os cabelos presos e ondulados. É possível adicionar ainda mais brilho ao penteado acrescentando adereços com pérolas e pedras preciosas que arrematam o look. Mas, se a ideia for ser mais casual, a opção é um coque bagunçado, porém muito elegante, com uma faixa de seda para reforçar o estilo melindrosa. Agora, se o casal for realmente fã do Art Déco, alianças vintage serão uma lembrança eterna do estilo desse grande dia.




O bouquet é outro elemento importante. Ele é um complemento do vestido da noiva. Uma paleta de cores neutra traz um luxo clássico, e plumas são uma excelente escolha para um autêntico estilo noiva-melindrosa. Se for mais ousada, ela pode acrescentar também detalhes em preto ou cores escuras.



Não dá para esquecer também das madrinhas, dos padrinhos e do noivo. Para elas, vestidos de melindrosa são uma escolha natural para manter o conforto e o estilo, pois foram originalmente desenhados para dançar e por isso são perfeitos para a ocasião. Para eles, gravatas-borboletas são uma boa opção com boutonnières que complementem o bouquet, sejam elas simples e elegantes ou coloridas e dramáticas.



RECEPÇÃO

Finger foods eram bastante populares na década de 1920 por causa do seu preparo rápido, por serem fáceis de compartilhar e pela praticidade de servir entre uma música e outra na pista de dança. Ostras são uma opção luxuosa para celebrações de alto padrão, com suas lindas conchas e sua elegante apresentação. Já crostinis, cobertos com diferentes guarnições, são alternativas excelentes para um visual colorido de obra de arte.



Para beber, martini de gin e champanhe são ótimas escolhas para evocar o espírito da época. Servidos em decanters antigos, criam um estilo memorável. Soft drinks podem ser servidos da mesma maneira. Copos e taças com adornos elegantes elevam o brinde a um outro patamar quando dispostos sobre uma bela mesa no clássico formato de pirâmide.



São inúmeras as opções para inspirar um casamento com a cara dos anos 1920, seja de maneira sutil, seja de maneira mais explícita. Mas, sem dúvida, em qualquer um dos casos essa estética tão marcante vai tornar o seu casamento inesquecível.




FOTOS: Reprodução da internet. Se você é o detentor dos direitos de alguma imagem reproduzida neste post e não autoriza a sua exibição, entre em contato conosco.


FONTES DE CONSULTA:

Design – The definitive visual history. Dorling Kindersly: Londres, Reino Unido, 2015.

• How to have a ‘Great Gatsby’ inspired Art Deco wedding

• Wedding Theme Inspiration: Art Deco

• Art Déco wedding idea


Clique aqui para conhecer a nossa coleção ART DÉCO.

Clique aqui para ver o nosso GUIA DE ESTILOS PARA EVENTOS INESQUECÍVEIS.

17 visualizações